1920x560 v5

Introdução às Demonstrações, Depreciação, Impairment e Leasing

Matricule-se agora por R$ 278,00
Introdu%c3%a7%c3%a3o %c3%a0s demonstra%c3%a7%c3%b5es financeiras leasing loberto sasaki 01
17 provas
17 textos
38 horas

Descrição do curso

Introdução às Demonstrações, S/A, Depreciação, Impairment, Leasing, IFRS, CPC, NBC, Inflação

Categoria: Contabilidade Geral Avançada | Por Volume


Curso: Introdução às Demonstrações, Depreciação, Impairment e Leasing 
Professor: Loberto Sasaki.
Prazo de acesso: 60 dias.
Carga horária: 38 horas/aula.
Material: Livro impresso. Frete grátis.
Certificado: sim.
Certificação em EPC: sim.
Conteúdo programático: acesse aqui.
1. Código do curso: DF-00515.
2. Nome do curso: CONTABILIDADE GERAL AVANÇADA | VOLUME 5: INTRODUÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES, IMPAIRMENT E LEASING
FINANCEIRAS AUXILIARES.
3. Tipo: Curso.
4. Nível: Por horas.
5. Data: 27/9/2016 a 31/12/2017.
6. Carga Horária: 38 horas/aula.
7. Pontuação:
a) QTG/ CMN/ SUSEP: 38/ 35/ 35 pontos.8
b) EPC (Responsável Técnico): 35 pontos.
Informações gerais

Conteúdo
  • 1. Fundamentação Legal
  • 1.1 Lei 6.404/76, com redação alterada pelas Leis 11.638/2007 e 11.941/2009.
  • 1.2 Legislação Tributária – Lei 12.973/2014.
  • 2. Fundamentação Técnica
  • 2.1 Pronunciamentos Técnicos CPC 06, 26 (R1), 27 e 31.
  • 2.2 CFC – NBC TG 06 (R1), 26 (R2), 27 (R2) e 31 (R2).
  • 2.3 CVM – Deliberações 645/10, 676/11, 583/09 e 598/09.
  • 3. Sociedades Anônimas
  • 3.1 Característica e natureza.
  • 3.2 S/A de capital aberto.
  • 3.3 S/A de capital fechado
  • 3.3.1 Companhia fechada de pequeno porte.
  • 3.4 O papel da comissão de valores mobiliários – CVM.
  • 3.5 Mercado de bolsa.
  • 3.6 Mercado de balcão.
  • 3.7 Valores mobiliários.
  • 3.8 Sociedade limitada.
  • 3.9 Sociedade de grande porte – lei 11.638/2007.
  • 3.10 Quanto a publicação.
  • 3.11 Quanto a auditoria.
  • 4. Introdução às Demonstrações Financeiras
  • 4.1 Demonstrações financeiras obrigatórias, segundo o art. 176, da Lei 6.404/76.
  • 4.2 Demonstrações financeiras obrigatórias, segundo a CVM, exclusivamente para companhias abertas.
  • 4.3 Demonstrações financeiras obrigatórias, segundo a legislação tributária, decreto 3.000/99 (RIR) e Lei 12.973/2014.
  • 4.4 Destinação do lucro do exercício.
  • 4.5 Estrutura de uma sociedade anônima.
  • 4.6 Aspecto contábil da destinação do lucro e breve introdução à DRE, ao BP e à DLPA.
  • 4.7 Breve introdução à AFC.
  • 4.8 Breve introdução à DVA.
  • 4.9 Exercício para fixação.
  • 5. Normas de Convergência para Contabilidade Internacional.
  • 6. O Processo de Convergência Contábil Internacional
  • 6.1 Contabilidade americana
  • 6.1.1 Órgão emissor de normas.
  • 6.1.2 Normas emitidas no período de 1938 a 2008.
  • 6.2 Contabilidade internacional
  • 6.2.1 Criação do órgão – em 1973.
  • 6.2.2 Alteração do órgão – em 2001.
  • 6.2.3 Normas internacionais de contabilidade.
  • 6.2.4 Resumo das normas emitidas até 2008.
  • 6.2.5 FASB – Convergência com IASB – Internacional Accounting Standardas Board.
  • 6.2.6 Adesão às normas do IASB.
  • 6.3 Convergência das normas contábeis brasileiras para as normas internacionais de contabilidade
  • 6.3.1 Adesão às normas do IASB.
  • 6.3.2 Objetivos das alterações na matéria contábil – lei 11.638/2007.
  • 6.3.3 Demonstrações financeiras de sociedades de grande porte.
  • 6.3.4 Comitê de pronunciamentos contábeis.
  • 6.3.5 Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007.
  • 6.3.6 Adoção inicial da lei nº 11.638/2007 e da lei nº 11.941/2009.
  • 6.3.7 Status da agenda do comitê de pronunciamento contábil.
  • 6.4 Medida provisória nº 449, de 3 de dezembro de 2008 – DOU de 4/12/2008, convertida em lei 11.941/2009
  • 6.4.1 Nova lei das S/A – regulamentação fiscal.
  • 6.4.2 RTT – Regime tributário de transição (opção).
  • 6.4.3 RTT – (neutralidade tributária na apuração do lucro real).
  • 6.4.4 Lei 11.941/2009 – capítulo III – do regime tributário de transição.
  • 6.4.5 RTT – exemplo.
  • 7. Depreciação
  • 7.1 Bens permanentes.
  • 7.2 Depreciação – conceito e fundamento legal
  • 7.2.1 Método de depreciação.
  • 7.2.2 Depreciação, segundo a legislação tributária
  • 7.2.2.1 Legislação tributária – Lei 4.506/64.
  • 7.2.2.2 Taxas de depreciação.
  • 7.2.2.3 Outras informações importantes.
  • 7.2.3 Contabilização.
  • 7.2.4 Nas demonstrações financeiras.
  • 7.2.5 Exemplo.
  • 7.2.6 Depreciação acelerada – fiscal.
  • 7.2.7 Depreciação de bem usado – regra fiscal
  • 7.2.7.1 Início da depreciação.
  • 7.2.7.2 Exemplo.
  • 7.3 Venda de bens permanentes
  • 7.3.1 Operações de 20X1.
  • 7.4 Contas de operações continuadas
  • 7.4.1 Receitas de operações continuadas.
  • 7.4.2 Despesas de operações continuadas.
  • 7.5 Contas de operações descontinuadas
  • 7.5.1 Resultado de operações descontinuadas.
  • 7.5.2 Receitas e despesas de operações descontinuadas.
  • 7.6 Histórico da nova DRE.
  • 7.7 Ativo não circulante mantido para venda e operação descontinuada.
  • 7.7.1 Apresentação.
  • 7.7.2 Ganhos ou perdas relacionados com operações em continuidade.
  • 7.8 Demonstração do resultado do exercício
  • 7.8.1 Exercício para fixação nº 1 (Depreciações: operações de 2008).
  • 7.8.2 Exercício para fixação nº 2 (Depreciações: operações de 2009).
  • 7.8.3 Exercício para fixação nº 3 (Depreciação).
  • 7.9 A nova depreciação
  • 7.9.1 Ativo imobilizado – norma jurídica (lei 6.404/76).
  • 7.9.2 Ativo imobilizado – norma técnica (CPC 27).
  • 7.9.3 Depreciação efetiva – exemplo 1.
  • 7.9.4 Depreciação efetiva – exemplo 2.
  • 7.9.5 Exercício para fixação (depreciação efetiva).
  • 7.10 Bateria 1 (depreciação).
  • 8. Impairment
  • 8.1 Critérios de avaliação do imobilizado e intangível – Lei 6.404/76.
  • 8.2 Introdução.
  • 8.3 Teste de recuperabilidade ou teste de impairment
  • 8.3.1 Determinação do valor contábil (VC).
  • 8.3.2 Determinação do valor recuperável (VR).
  • 8.3.3 Determinação da perda por desvalorização (impairment).
  • 8.3.4 Contabilização.
  • 8.4 Redução ao valor recuperável de ativos – impairment (norma técnica – CPC 01).
  • 8.5 Redução do valor recuperável de ativo – impairment (norma tributária – Lei 12.973/2014).
  • 8.6 Exercício para fixação (impairment).
  • 8.7 Bateria 2 (impairment).
  • 9. Arrendamento Mercantil (Leasing)
  • 9.1 Ativo fixo financiado por capital de terceiros
  • 9.1.1 Aquisição de imobilizado via empréstimo a juros pré fixados.
  • 9.1.2 Aquisição de imobilizado via financiamento bancário.
  • 9.1.3 Aquisição de imobilizado via leasing financeiro até 31/12/2007 lei societária e lei tributária antigas.
  • 9.1.4 Aquisição de imobilizado via leasing financeiro a partir de 1º/1/2008 (contabilidade internacioional).
  • 9.2 Operações de arrendamento mercantil
  • 9.2.1 Introdução.
  • 9.2.2 Classificação: arrendamento mercantil financeiro e arrendamento mercantil operacional.
  • 9.2.3 Contabilização na arrendatária
  • 9.2.3.1 Arrendamento mercantil financeiro.
  • 9.2.3.2 Arrendamento mercantil operacional (norma técnica – CPC 06 – itens 33 a 35).
  • 9.2.3.3 Arrendamento Mercantil – Leasing (Norma Técnica – CPC 06).
  • 9.3 Bateria 3 (leasing).
  • 10. Correção Monetária do Balanço
  • 10.1 Variação monetária x correção monetária
  • 10.1.1 Variação cambial.
  • 10.1.2 Noções de atualização monetária.
  • 10.1.3 Correção monetária do balanço
  • 10.1.3.1 Fundamento legal – normas que vigoraram até 31/12/1995.
  • 10.1.3.2 Empresas sujeitas a correção monetária.
  • 10.1.3.3 Indexador único.
  • 10.1.3.4 Relação de contas sujeitas a correção monetária.
  • 10.1.3.5 Contabilização
  • 10.1.3.5.1 Regra geral.
  • 10.1.3.5.2 Exceção.
  • 10.1.3.5.3 “ACM” ou “resultado da correção monetária”.
  • 10.1.3.5.4 Exemplo.
  • 10.1.3.6 Escrituração contábil – exigência fiscal
  • 10.1.3.7 Momento da correção monetária do balanço.
  • 10.1.3.8 Depreciação em ambiente inflacionário.
  • 10.1.4 Cálculo da depreciação e correção – monetária em UFIR (sistema trimestral e anual).
  • 10.1.5 Exercício para fixação nº 01 (correção monetária – operações de 1990).
  • 10.1.6 Exercício para fixação nº 02 (correção monetária – operações de 1991).
  • 10.1.7 Exercício para fixação nº 03 (correção monetária – operações de 1992).
  • 10.1.8 Exercício para fixação nº 04 (correção monetária – operações de 1993).
  • 10.2 Bateria 4 (Depreciação e Correção Monetária).
  • 10.3 Resumo para resolução de questões em concursos públicos (Válido para a atualização monetária até 31/08/94).
  • 10.4 Resumo para resolução de questões em concursos públicos (Válido para a atualização monetária referente: Set/94 a Dez/95).
Objetivo

Este treinamento consiste em proporcionar uma visão interativa e harmônica que há entre as demonstrações contábeis (todas), introduz o conhecimento e a filosofia da contabilidade internacional para a qual o Brasil convergiu, enfatiza a importância das novas normalizações das sociedades anônimas, a nova norma contábil sobre a depreciação e seu contraste com a nova legislação tributária, o teste de recuperabilidade de ativos e os arrendamentos mercantis operacional e financeiro, bem como o aspecto fiscal desses itens contábeis.

Público alvo

Atende a todos os estudantes do curso de graduação em Ciências Contábeis, aos iniciantes na profissão e aos profissionais atuantes que desejem atualizar e/ou aperfeiçoar conhecimentos.

Metodologia

Aulas expositivas com uso de quadro branco e pincel. O curso é online por meio de videoaulas. Toda teoria estudada é imediatamente aplicada, assunto por assunto, por meio de exercícios para fixação e questões objetivas.

Os conteúdos técnicos e legais pertinentes são ensinados dentro de um contexto realista trazido do cotidiano de uma empresa.

Certificado

Após a conclusão do curso, com aproveitamento mínimo exigido de 75% e as avaliações devidamente concluídas(se houverem), solicite o seu certificado, via email, conforme orientações a seguir.

A solicitação deve ser feita aos endereços de email: contato@nataconta.com, com cópia para atendimento@nataconta.com com seguinte:
Assunto: Certificado
1. Nome Completo: Informe seu nome completo.
2. CPF: 000.111.222-3
3. RG e órgão de expedição: 123.456 SSP/DF
4. Registro Profissional do CRC do seu estado (caso seja contador): 123.456 CRC/DF
5. Curso cujo solicita a certificação: informe o curso que concluiu e deseja solicitar o certificado.
Prazo para recebimento via email:
O certificado é editado em formato PDF e encaminhado para o seu email em até 5 dias úteis. 

Certificado impresso:
Em regra, os certificados são encaminhado via email em formato PDF. Caso haja a necessidade do certificado no modelo impresso, é necessário solicitar orçamento para verificar custos de envio (postagem via Correios) e impressão em papel especial, desse modo o prazo para recebimento do certificado poderá ser de até 15 dias úteis.

O que você vai aprender

Professores


Atuou no mercado como Contador, Auditor e Perito Contábil. Foi consultor e escritor de boletins de empresas especializadas nas áreas Contábil, Comercial, Trabalhista e Tributária. Teve como primeiro emprego professor de Cursos Práticos de Contabilidade, profissão que abraçou e nunca parou. Foi professor universitário nos cursos de graduação e pós-graduação na área contábil. É palestrante em diversos congressos, eventos contábeis e áreas afins.